Páginas

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

ENSINO COM EXCELÊNCIA

O ENSINO BÍBLICO

O ensino, no âmbito da igreja, surge devido à necessidade de fazer com que os novos crentes amadureçam espiritualmente e tenham uma vida espiritual sadia.

O ensino bíblico é uma das ordenanças de Cristo contidas na grande comissão. Tanto no AT, como no NT, vemos exemplos do ensino da Palavra de Deus: No Antigo Testamento Moisés ensinou a lei aos filhos de Israel e durante muitos anos eles permaneceram fiéis aos ensinamentos recebidos. No Novo Testamento vemos o próprio Senhor Jesus, o maior dos mestres, ensinando com autoridade a Palavra de Deus. O exemplo do Senhor Jesus foi seguido pelos apóstolos, que continuaram com o ensino da Palavra de Deus, principalmente através das Epístolas.

Quando falamos de ensino, percebemos que essa palavra pode assumir vários sentidos:

Fazer Conhecer: Aqui vemos aquele que é o primeiro princípio básico do ensino: fazer com que as pessoas conheçam o que antes não conheciam. Os apóstolos utilizaram este modo de ensino, fizeram com que as pessoas conhecessem o real significado das profecias do AT, e da Lei de Moisés, e a relação que tinham com o advento do Messias. É papel daquele que ensina fazer com que o ensinado passe a conhecer o que antes não sabia e, principalmente, que efeito terá esse novo conhecimento em sua vida.

Fazer Compreender: Aqui vemos um outro sentido da palavra ensino; quando ensinamos precisamos fazer com que as pessoas compreendam aquilo que nos propusemos a ensinar. Jesus utilizou eficazmente este método quando interpretava a Lei de maneira simples, revelando ao povo o verdadeiro sentido desta. Podemos dizer que este é o passo seguinte ao “fazer conhecer”. É preciso, além de conhecer, saber como “funciona”.

Causar Mudança: Este é o principal sentido do ensino bíblico; causar mudança de atitude na vida dos ouvintes. Paulo cria que através do seu ensino haveria mudança na vida dos seus destinatários. Quando ensinamos, temos que procurar atingir este sentido da palavra “ensino”; causar mudanças positivas nos receptores da mensagem.

O objetivo primário do ensino bíblico na Igreja Primitiva era fazer com que os novos crentes amadurecessem espiritualmente e fossem verdadeiros “ministros” para outras vidas.

O MÉTODO DO ENSINO

Para que possamos alcançar os resultados que esperamos, é necessário que tenhamos uma metodologia correta. Vejamos então o método básico para o ensino:

Determinar alvos: Se não tivermos um alvo pré-estabelecido para o nosso ensino dificilmente ele será satisfatório; com certeza não alcançaremos o resultado esperado. Existem dois elementos básicos para que possamos determinar o alvo: a matéria bíblica a ser ensinada e as necessidades dos alunos. Existem, no ensino, três tipos de alvo:

1. Alvos gerais, de longo prazo: são dois os objetivos dos alvos gerais - levar o povo a tornar-se maduro espiritualmente e a ser ganhador de almas.
2. Alvos para indivíduos e classes: são baseados na matéria e na necessidade do aluno, ou da classe. O ensinador deve ter a sensibilidade de perceber qual o nível do ensino que precisa transmitir.
3. Alvos para lições individuais: cada lição deve ter apenas um alvo principal, isso facilita o ensino, e também a compreensão dos alunos.

O que a Bíblia ensina? (coletar a matéria): Depois que determinamos o alvo, precisamos averiguar o que a Bíblia ensina sobre a matéria. Não podemos nos esquecer de que a Bíblia é a bússola do cristão, é a nossa fonte primeira de consulta, e a corte final de apelação.

O que aprendi? (coletar a matéria): Nessa parte do preparo do nosso ensino procuramos relembrar tudo o que sabemos sobre o assunto que nos propusemos a ensinar. É a maneira de reunir o conhecimento anterior, e a experiência vivida dentro do tema, para enriquecer o nosso ensino.

Dispor em ordem a matéria: (Planejar uma série) Essa parte do método do ensino é o planejamento de como nossa aula será ministrada. Uma das formas que podem ser utilizadas é o planejamento de uma série de estudos que poderá estender-se por várias aulas. É uma maneira interessante de aprofundar-se no assunto e motivar os alunos a não perder a seqüência do ensino.

Dispor em ordem a matéria: (Partes de um plano de aula): As partes do plano de aula são semelhantes ao esboço que utilizamos na pregação, como vimos, anteriormente:

1. Introdução;
2. Corpo;
3. Conclusão.


Comunicar a Mensagem: Para comunicarmos a nossa aula com eficácia precisamos cumprir alguns requisitos:

1. Seguir o plano estabelecido;
2. Comunicação clara e relevante;
3. Escolher qual o método de aula que vamos utilizar: método da preleção, Método de Perguntas e Respostas, Debates, Grupos de Estudo e etc.

 REPRODUZIDO COM A AUTORIZAÇÃO DO AUTOR


Ev. Fabio Magalhães – São Paulo
Setor 36 – Vila Rio Branco
Para convites e consultorias:
http://evfabiomagalhaes.blogspot.com; consultoria_ministerial@yahoo.com.br

2 comentários:

Fábio Magalhães disse...

Sinto-me honrado com a publicação do texto no Blog e, também, no Jornal Nosso Setor.
Agradeço ao querido amigo, Pb. Natanael, pela sua gentileza e pela sua amizade.
Que o Senhor continue abençoando ricamente!

Natanael Lima disse...

Meu amigo, nós que sentimos honrados, pode acreditar! Ainda faremos muitas coisas juntos para a honra e glória do Senhor Jesus!

Deus abençoe sua família e ministério.